IP Casa de Oração - Rua Moreira Neto, 283 - Guaianases - São Paulo

segunda-feira, fevereiro 17, 2014

História da Escravidão - Um mercador de Escravos



EDWARDS, MONROE (1808-1847).
 Monroe Edwards, no início contrabandista de escravos Texas e falsificador, filho de um fazendeiro, Moisés Edwards, nasceu em Danville, Kentucky, cerca de 1808. Mudou-se para a área da baía de Galveston do Texas cerca de 1825  para trabalhar como um caixeiro para um comerciante próspero, James Morgan . Logo após sua chegada, no entanto, ele encontrou um modo mais lucrativo de ganhar a vida, embora menos respeitável, perseguições. Ele se envolveu em contrabando de escravos para o Brasil da África e logo obteve um lucro de US $ 50.000. Através marido de sua amante, um oficial mexicano, ele obteve uma grande concessão de terras no Condado de Brazoria. Ele chamou sua propriedade Chenango Plantation (ver Chenango, TEXAS ) e é usado como uma base para o contrabando de escravos continuado para o Texas a partir de Cuba. Sua única pretensão de reconhecimento histórico favorável foi a sua prisão e breve prisão, com os outros, pela guarnição mexicana em Anahuac, em 1832 (ver ANAHUAC DISTÚRBIOS ).
Christopher Dart, que mais tarde comprou uma meia interesse em Chenango, também se juntou Edwards no financiamento do tráfico de escravos. Em 2 de março de 1836, Edwards levou cerca de 171 escravos até o Rio Brazos e dirigi-los por terra para Chenango, onde seriam mantidos para venda após a Revolução do Texas terminou. Quando Dart começou a pressioná-lo a vender os escravos e dividir os lucros, como haviam combinado, Edwards concebeu um plano diferente. Ele alterou uma carta assinada por Dart para que ele parecia ser uma nota de venda para si mesmo. Dart, é claro, protestou, e entrou com uma ação civil. Embora Edwards manteve dois advogados distintos, John C. Watrous e John W. Harris, QQV a falsificação foi descoberta durante o julgamento em Brazoria. Dart  foi a julgamento em 2 de Abril de 1840, onde obteve sua soltura mediante o pagamento de 89 mil dólares mais os custos de juros e judiciais. Além disso, Edwards foi indiciado e preso.
Depois de fazer vínculo sob a acusação criminal, Edwards fugiu para a Europa, onde ele posou como um veterano rico de San Jacinto e um abolicionista. Ele deixou a Europa depois de uma ameaça de exposição, fugindo da Inglaterr,  voltou para os Estados Unidos, onde ele se envolveu em várias falsificações em grande escala. Foi finalmente preso e colocado na prisão Tombs em Nova York. Seu julgamento foi  célebre, com longos relatos de testemunho de cada dia impresso no New York Daily Tribune e outros jornais. Edwards novamente retido, apesar dos  advogados famosos, mas foi considerado culpado. Ele foi condenado a prisão de Sing Sing. Depois de uma tentativa de fuga em 1847 ele foi severamente espancado por autoridades da prisão e morreu.
BIBLIOGRAFIA:
Vida e Aventuras do Forger realizado e Swindler Coronel Monroe Edwards (New York: Long, 1848). Edna Rowe, "Os distúrbios em Anahuac em 1832," trimestral da Texas State Historical Association 6 (Abril de 1903). Texas Sentinela, 28 de janeiro de 1841. Homer S. Thrall, A Pictorial History of Texas (St. Louis: Thompson, 1879).
Marie Beth Jones

*Ele é   citado no Conto Bartleby, pelo homem que distribuía alimento aos presos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo sempre aqui.Aproveite que veio e visitou e faça uma blogueira feliz:Comente!


De acordo com a Justiça o autor do blog não está livre de uma eventual responsabilidade civil ou mesmo criminal por causa de comentários deixados por leitores. Portanto faremos o controle dos comentários aqui expostos.

A Constituição Federal garante a livre manifestação do pensamento, mas veda expressamente o anonimato (art.5º, IV), por isso comentários anônimos não serão mais permitidos!
Sem contar que comentários que difamem o autor, o Blog ou o personagem descrito na matéria serão proíbidos!

Agregadores

Medite!

Algumas Canções Cristãs - Homens

Ferramentas para Blog

Dessander, o amigo

Loading...

Outras Postagens

Gióa Júnior

Aproveita e leia mais sobre Miriam Makeba

MIRIAM MAKEBA - UMA HOMENAGEM PÓSTUMA
Gostaria de fazer aqui uma homenagem a uma das mulheres que mais admirei nesta vida - Miriam Makeba. Desde criança me deleitava com suas músicas, elas nunca tocaram meu corpo, sempre tocaram minha alma.
hmais aqui
http://www.amigosdosabor.blogspot.com/