IP Casa de Oração - Rua Moreira Neto, 283 - Guaianases - São Paulo

quarta-feira, agosto 02, 2017

Minha última optativa... Línguas Indígenas

E a última optativa foi: Introdução ao Estudo das Línguas Indígenas

Hoje quero falar sobre minha última experiência com Disciplina Optativa na Universidade...
Não era minha optativa real. Meu desejo era fazer Literatura Japonesa com a professora Cristina, uma romena brasileira fluente em japonês,  que é a responsável pelo curso de meus sonhos. Uma tarde com ela e qualquer apaixonado por Literatura acaba querendo fazer aula com sua turma. É comigo não foi diferente, principalmente porque um dos temas que abordou em nossa conversa, em seu departamento, foi sobre como os japoneses retratam a morte nas suas atividades literárias. Mas havia um problema. A Disciplina tem menos crédito que os 4 que eu precisava de assim parti para outra. É essa outra já começava me sendo desfavorável. Era da área de Linguística  e salvo uma experiência razoável, não tive boas lembranças na área - além de Saussure, o cachorro preto que vivia tentando assistir aula conosco nos primeiros períodos…
Comecei frequentar as aulas. Introdução aos Estudos das Línguas Indígenas. É sim, tinha todo o traçado esquemático comum de uma disciplina linguística. Só que era muito mais que isso. O professor Frantomé, titular da disciplina, consegue desenvolver uma didática produtiva e casa de forma perfeita história e Língua de modo que a aula com ele em nada lembra um apanhado de esquemas linguísticos. Sim, trabalhamos a Linguagem, os Troncos e todas as famílias indígenas do Amazonas, viajamos pela construção da Língua Geral Brasileira e seu uso como manipulação  e generalização de um povo; abordamos juntos todo o prédio aculturação, desconstrução de humanidade e demonização da cultura indígena. É sim, eu tive prazer em estudar algo tão diferente da área de Literatura. E ele foi o primeiro professor da área de Linguística a não perguntar qual nossa área de interesse na grade de Letras. E talvez não tenha feito pois, pareceu-me, que para ele uma parte não diferencia da outra. Tudo é Linguagem e por ser assim, pode ser uma construção de conhecimento coesa, bem homogênea e sem os percalços comuns ao ensino fragmentado.
A turma era eclética e vinda de diversos cursos, o que para a maioria dos professores, torna a aula em um eterno lembrar de onde vem aluno X ou Y. Com ele isso não acontecia. A aula era sucinta, apesar do tempo, quatro longas horas. No entanto, ele conseguia prender a atenção e o interesse da classe.
É maravilhoso quando encontramos um professor que é apaixonado por sua disciplina. É o professor Frantomé é assim, um profissional que conhece de fato seu material de pesquisa e sabe ensinar e influenciar seus alunos. Aprendi muito com ele e retomei meu interesse pelo estudo dos povos indígenas.
Saio dessa experiência muito melhor preparada e mais madura como professora.


PS. 1. Saussure, o cachorro que citei ainda vive na UFAM, mudou-se para as imediações do novo RU da área de Humanas.
PS. 2. Problemas técnicos quase invalidaram a efetivação dessa Disciplina em meu histórico… 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo sempre aqui.Aproveite que veio e visitou e faça uma blogueira feliz:Comente!


De acordo com a Justiça o autor do blog não está livre de uma eventual responsabilidade civil ou mesmo criminal por causa de comentários deixados por leitores. Portanto faremos o controle dos comentários aqui expostos.

A Constituição Federal garante a livre manifestação do pensamento, mas veda expressamente o anonimato (art.5º, IV), por isso comentários anônimos não serão mais permitidos!
Sem contar que comentários que difamem o autor, o Blog ou o personagem descrito na matéria serão proíbidos!

Agregadores

Medite!

Algumas Canções Cristãs - Homens

Ferramentas para Blog

Dessander, o amigo

Loading...

Outras Postagens

Gióa Júnior

Aproveita e leia mais sobre Miriam Makeba

MIRIAM MAKEBA - UMA HOMENAGEM PÓSTUMA
Gostaria de fazer aqui uma homenagem a uma das mulheres que mais admirei nesta vida - Miriam Makeba. Desde criança me deleitava com suas músicas, elas nunca tocaram meu corpo, sempre tocaram minha alma.
hmais aqui
http://www.amigosdosabor.blogspot.com/