IP Casa de Oração - Rua Moreira Neto, 283 - Guaianases - São Paulo

terça-feira, maio 10, 2011

Eu não tenho mãe.E daí?

Não, eu não tenho mãe,



Não tenho a tal primeira lembrança doce de um perfume feminino,
Não tenho na memória uma marca que o tempo não apaga.
Não sei identificar um sentimento quase divino.
Sentimento divino para mim é o amor de Deus.

Dia das Mães para quê?
Faço parte de um batalhão de pessoas que não compreende
Este amor, famoso, que enfeita até comercial de margarina,
Que estampa revista de Testemunha de Jeová.
E sei lá mais o quê.

Para mim dia das mães é pura perda de tempo.
Comemorar o quê?
Se faço parte daqueles que só não foram abortados porque o inferno é quente,
Ou porque ela tinha medo de morrer no processo,
Se sou uma daquelas que só não foram esquecidas no hospital
Porque a enfermeira levou até a porta,
Que não teve como destino a lixeira porque a língua dos vizinhos é grande.

Sou solidária com aqueles que, irmãos de dor
Constroem com as pedras que lhes atiram um castelo forte, um esconderijo.

Sou solidária com aqueles pobres seres, que como eu não permitiram
Que o frio do quarto de serviços, onde dormiam entre a máquina de lavar
E o carrinho de pedreiro, apagasse a certeza que ainda haverá algo novo a viver.
Que os pratos de comida velha e endurecida não lhes tiraram a certeza de que somos gente.
Não há nada que outro faça que apague o brilho das estrelas que brilham em nós.

Não tenho mãe e daí?
Não estou só no mundo.
Existem outros como eu, que não sabem o que perderam, porque não tiveram.
E o que pregam sobre um ser quase etéreo a nos cobrir de beijo,
É como as lendas de lobisomem, mula sem cabeça e saci pererê.
Os outros dizem que existe, mas eu mesma nunca vi.

Não tenho mãe e daí?

O que me conforta mesmo é que Jesus já tinha dito antes,
Quando sua mãe e pai te desamparar o Senhor te acolherá.
Estou aqui, no meu cantinho, encolhida sobre as Asas do Altíssimo
E não existe outro braço que eu queira para me abraçar.


Elisabeth

9 comentários:

  1. Anônimo5:24 AM

    adorei isso... é como me sinto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Volte sempre e nunca se esqueça que o senhor não nos abandona.

      Excluir
    2. Anônimo2:41 PM

      Minha mãe está viva. Mas eu também não tenho mãe. Já tentei contar pra ela a dor das paixões não correspondidas na juventude e ela nao quis ouvir. Já pedi socorro por ter brigado com uma colega e ela não quis ouvir. Precisei de conselhos quando estava grávida e preocupada e ela simplesmente disse: não sei... (ela teve 7 filhos). A única preocupação dela é: frequentar a igreja, fazer novena e rezar o terço. Eu tenho mãe? Não! E sei que vem daí minha dificuldade em fazer amizades. Eu não aprendi a receber as pessoas, a gostar das pessoas, a amar as pessoas, porque minha mãe só ama os que frequentam a igreja. Ela não tem amigas para se reunir, afinal quem se reuniriam apenas para fazer novena?

      Excluir
    3. Anonima querida.
      Uma pena mesmo que você tenha sofrido tudo isto, mas por mais difícil que seja, abra seu coração para novas amizades e você se sentirá protegida.
      Sou muito feliz com os amigos que fiz e eles fazem da minah vida uma alegria só.
      Reconheço que foi difícil, mas aos poucos aprendi confiar e hoje sou uma pessoa melhor.

      Excluir
  2. Anônimo11:36 PM

    Anônima
    Eu tb não tenho mãe fui abandonada por ela não quis saber de mim mi jogou fora como se joga um lixo na lixeira pra quer ter mãe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Acalme teu coração.
      Tenho certeza que és capaz de construir relações diferentes desta que não conheceu: Mãe e filha.
      Ser amado, por Deus, por amigos e por outras pessoas também depende do quanto nos desligamos do que não temos e nos apegamos ao que podemos construir.
      Liberte-se do que não teve e vai atrás do novo ser que podes ser e alcançar.
      E se precisares conversar, fique à vontade.
      Sou toda ouvidos - quando quero.
      Abraços sinceros e peço a Deus que cure tua alma.
      Elisabeth Alves

      Excluir
  3. Anônimo12:32 AM

    Como é ser filha sem ter uma mãe? Tenho passado por todas as fases de uma menina, mulher. O que eu faço quando me entristeço e não tenho a mãe pra me aconselhar e entender a tristeza que estou carregando aqui dentro! Sei que é Deus que me ampara, mas está existindo momentos difíceis de suportar a ausência de uma mãe, aonde a única vontade é de gritar tudo o que está preso em minha garganta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena que não me procurou para conversarmos...Se voltar, pode chamar no Facebook. Abraços...

      Excluir

Seja bem vindo sempre aqui.Aproveite que veio e visitou e faça uma blogueira feliz:Comente!


De acordo com a Justiça o autor do blog não está livre de uma eventual responsabilidade civil ou mesmo criminal por causa de comentários deixados por leitores. Portanto faremos o controle dos comentários aqui expostos.

A Constituição Federal garante a livre manifestação do pensamento, mas veda expressamente o anonimato (art.5º, IV), por isso comentários anônimos não serão mais permitidos!
Sem contar que comentários que difamem o autor, o Blog ou o personagem descrito na matéria serão proíbidos!

Agregadores

Medite!

Algumas Canções Cristãs - Homens

Ferramentas para Blog

Dessander, o amigo

Loading...

Outras Postagens

Gióa Júnior

Aproveita e leia mais sobre Miriam Makeba

MIRIAM MAKEBA - UMA HOMENAGEM PÓSTUMA
Gostaria de fazer aqui uma homenagem a uma das mulheres que mais admirei nesta vida - Miriam Makeba. Desde criança me deleitava com suas músicas, elas nunca tocaram meu corpo, sempre tocaram minha alma.
hmais aqui
http://www.amigosdosabor.blogspot.com/